Obesidade entre adolescentes

A obesidade entre crianças e adolescentes aumentou dez vezes em 40 anos. O grupo de indivíduos entre 5 e 19 anos que estão acima do peso saltou de 11 milhões na década de 70 para 124 milhões em 2016. Esta foi a faixa etária que registrou maior avanço no excesso de peso.

Por aqui, 8,4% dos brasileiros de 12 a 17 anos estão obesos. Somando-se à fatia de 17,1% dos adolescentes que têm apenas sobrepeso, conclui-se que o país tem 25,5% de seus jovens pesando mais do que deveriam.

Além de fatores genéticos e individuais, fatores ambientes, o sedentarismo e erro alimentar são os principais responsáveis pelo número crescente de obesos.

Segundo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2022 haverá no mundo mais crianças e adolescentes com obesidade do que abaixo do peso. Hoje, cerca de 10% dos jovens brasileiros acima do peso sofrem de hipertensão, sendo que quase um quinto deles poderia não ter esse problema caso não fossem obesos.

A obesidade pode ocasionar aos adolescentes aumento no colesterol, pressão alta, diabete, problemas ortopédicos, baixa autoestima e até depressão. Além disso, há uma série de consequências na vida adulta, como uma maior probabilidade de encarar doenças como acidente vascular cerebral, infarto precoce e alguns tipos de câncer, além de menor expectativa de vida.

Foto: Reprodução | Fonte: Assessoria

Related Post