Noko Química recebe distinção no Prêmio Exportação RS

Lá se vão mais de 20 anos em que os primeiros embarques da Noko Química ao mercado externo tiveram início. A expertise adquirida em negócios no setor de couro e calçado do mundo conduziram a empresa, pela quinta vez, ao Prêmio Exportação RS 2017, conferido pela Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (ADVB/RS). Considerado o principal do gênero no Brasil, o prêmio foi entregue na noite de 13 de julho, no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre.

Para o diretor Ivo Schüler, o troféu na categoria Destaque Setorial/Químico coroa uma iniciativa ousada que teve origem nos anos 90, num cenário em que a indústria química brasileira ainda construía a sua reputação junto aos principais players globais.

Precisávamos provar que éramos parceiros capacitados, aliando eficiência a preços competitivos. Apostamos em tecnologia, pesquisa e inovação para que os produtos da Noko conquistassem seu espaço e hoje toda a nossa equipe, altamente técnica, comemora esse reconhecimento”, destaca.

Atualmente, mais de 30% da produção da empresa é destinada para além das fronteiras do Brasil. A Noko abastece curtumes de mais de 20 países, como México, China, Índia e Estados Unidos, que figuram entre os principais mercados consumidores de couro do mundo.

Também diretor da empresa, Osmar Reis explica que a Noko produz produtos para couros, calçados, artefatos, vestuário, estofamento moveleiro e automotivo, além de especialidades químicas. “Somos um dos principais fornecedores de produtos químicos para a produção de couros no mercado brasileiro. Desenvolvemos soluções altamente tecnológicas de acordo com as necessidades específicas de cada cliente, dentro e fora do País”, garante Osmar.

O gerente industrial da empresa, Ricardo Peres, acrescenta que a linha Noko aplica-se em todas as etapas produtivas, que têm início no curtimento e se encerra no acabamento do couro, como pinturas e texturas. “O Prêmio Exportação RS não apenas nos mostra que alcançamos êxito junto aos principais mercados globais, mas também nos credencia como o parceiro ideal da indústria nacional de couros. O Brasil tem enorme potencial exportador que pode ser melhorado muito, porque nós temos o principal, que é a matéria-prima, o couro. Para isso, no entanto, tem de investir em produtos de maior valor agregado, e aí a qualidade e a tecnologia devem estar presentes em cada detalhe”, analisa.

Ivo Schüler enfatiza justamente o fato de a Noko — uma empresa jovem, de capital 100% brasileiro e tecnologia totalmente nacional — obter credibilidade internacional tendo, ainda, a desvantagem de enfrentar o chamado Custo Brasil e a volatilidade cambial. “O cenário, sempre desafiador, acaba por nos servir de motivação para seguirmos em permanente evolução. Daí a razão pela qual conseguimos crescer mais de 10% lá fora em 2016, em relação ao ano anterior, mesmo com a maior crise da história do Brasil”, afirma o diretor.

Foto: Marcelo Fiori | Fonte: Assessoria

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *