Noko Química conquista o Prêmio Exportação RS

Tecnologia, pesquisa, planejamento e inovação conduziram a Noko Química à conquista do Prêmio Exportação RS 2018 na categoria qualitativa Destaque Setorial/Químico, cuja entrega ocorreu ontem à noite, na Casa NTX, em Porto Alegre.

Ivo Schüler, diretor da empresa, destaca que os produtos oriundos da fábrica de Portão abastecem os principais mercados consumidores de couro do mundo. “Apesar das enormes adversidades com que nos deparamos diariamente — como a instabilidade do câmbio, os gargalos logísticos caros e as demoradas etapas burocráticas que caracterizam o comércio exterior brasileiro —, a Noko entrega especialidades químicas de alta eficácia aos mais exigentes clientes globais”, salienta.

Gerente industrial, Ricardo Peres conta que a empresa se apoia em uma rede de agentes internacionais responsáveis pela política comercial em mais de 20 países. “Somos uma empresa voltada à inovação e procuramos solucionar todos os problemas. Assim, proporcionamos total segurança ao nosso cliente e ao nosso agente internacional.” A Noko, acrescenta ele, possui equipe técnica própria, que desenvolve novos produtos, faz demonstrações e dá todo o suporte conforme as necessidades específicas de cada cliente.

Para Ricardo, a conquista do prêmio é consequência dos investimentos de vulto que a Noko realiza ao longo de seus 28 anos de história, principalmente na evolução tecnológica e na qualificação continuada de seu corpo técnico.

Pela forma com que estamos estruturados, somos capazes de criar um novo produto de forma ágil, reduzindo muito o tempo de resposta ao cliente, algo que outras operações, por serem mais engessadas, muitas vezes não conseguem”, compara.

Hoje, em torno de 30% da produção é destinada ao comércio exterior. Com determinação, no ano passado as exportações da empresa atingiram 17% de crescimento em relação a 2016 — número que colaborou para a conquista do Prêmio Exportação RS pela segunda vez consecutiva. No último ano, a indústria ampliou sua penetração no México, que está entre os cinco maiores consumidores de couro do mundo, e também abriu espaço na Guatemala, Nicarágua e Tailândia. Além disso, na China e na Índia, dois gigantes globais na área coureiro-calçadista, a marca nascida em Portão consolidou sua presença.

“De um lado, nos sentimos gratificados pela premiação, já que os cenários econômico e político tendem não ao crescimento, mas sim à quebradeira das empresas; de outro, ficamos na expectativa de que o país se estabilize o quanto antes, melhorando o mercado interno, principalmente com mais investimentos, o que beneficiaria a todos”, analisa Ivo.

As especialidades Noko são empregadas em diversas etapas do processo produtivo de couros, calçados, artefatos, vestuário, estofamento moveleiro e automotivo. A companhia foi fundada em Portão em 1990, num cenário em que a química brasileira ainda construía a sua reputação junto aos principais players globais. “O Prêmio Exportação RS é resultado de um trabalho longo, dedicado, desafiador e sempre voltado à qualidade”, complementa Ivo.

Prêmio Exportação RS

Em sua 46ª edição, a premiação é concedida por 18 entidades ligadas ao cenário exportador do Rio Grande do Sul. São reconhecidas empresas nas categorias quantitativa, de acordo com dados de exportação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e qualitativa, com base na expertise das entidades representadas no Conselho do Prêmio Exportação RS. Em 2018, 56 empresas foram reconhecidas e premiadas.

O conselho é formado por lideranças das 18 instituições que possuem relação de suporte ou apoio ao cenário exportador gaúcho: Apex-Brasil, Agenda 2020, ADVB/RS, Badesul, Banco do Brasil, Banrisul, BRDE, Farsul, Federasul, Fecomércio-RS, Fiergs, Fundação de Economia e Estatística, Movimento Brasil Competitivo, Porto do Rio Grande, PwC Brasil, Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade, Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do RS e UFRGS.

Foto: Divulgação | Fonte: Assessoria

Related Post