Ministro da Educação encerra evento em Novo Hamburgo

Dois ministros, da Educação e do Gabinete da Segurança Institucional, prestigiaram a cerimônia de encerramento do FNDE em Ação, evento que começou na terça-feira, 9, e encerrou-se ontem, 10, no Teatro Feevale, em Novo Hamburgo. O objetivo do evento foi capacitar gestores educacionais e prestar atendimento individualizado para resolver pendências na execução dos programas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Além dos ministros Rossieli Soares (Educação) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete da Segurança Institucional), estiveram presentes o reitor da Universidade Feevale, Cleber Prodanov; o secretário de Educação do Estado, Ronald Krummenauer; a prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt; o deputado federal Renato Molling; o presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Antonio Cettolin; o presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime RS), Marcelo Mallmann; e a representante do FNDE, Mayra Santos.

O reitor Cleber Prodanov disse que, ao atender à solicitação do Ministério da Educação para a cedência do Teatro Feevale, visando à realização do evento, a Universidade Feevale retribui ao governo federal e ao Ministério, principalmente, o auxílio em diversas questões. “É uma satisfação receber prefeitos, secretários e professores de dezenas de municípios, pois essa é uma atividade extremamente importante”, afirmou, acrescentando que a Feevale está à disposição para incentivar todas as iniciativas que se referem à educação, especialmente do Rio Grande do Sul.

O ministro Rossieli Soares, que agradeceu à Feevale por ter recebido os participantes do evento no Teatro Feevale, espaço que ele denominou de monumento, salientou, em sua fala, que é necessário dar cada vez mais importância à educação básica. “Se erramos na base, com as nossas crianças, perdemos depois. Não dá para transformar a vida dessas crianças se não for por meio da alfabetização”, destacou. Segundo ele, 3,5 milhões de jovens chegam ao Ensino Médio todos os anos, sendo que apenas 1,7 milhão se formam. “O resto perdemos pelo caminho e, mesmo assim, aqueles que concluem seus cursos não estão alcançando um padrão de qualidade. E não tem como transformar isso no Brasil se não for pela mão dos municípios e dos Estados e é esse o grande objetivo de estarmos aqui hoje”, frisou, acrescentando que o MEC já alocou recursos para a educação em 2019, especialmente no que se refere à formação de professores.

EAD sem qualidade é motivo de preocupação
Logo após o encerramento do FNDE em Ação, que contou com a participação de cerca de 400 municípios gaúchos nos dois dias do evento, o reitor da Universidade Feevale, Cleber Prodanov, se reuniu com o ministro da Educação, Rossieli Soares. Prodanov agradeceu pela parceria em diversas frentes, como as recentes autorizações dos cursos de Medicina, Medicina Veterinária e Odontologia, e a implantação do novo câmpus em Campo Bom, por exemplo.

O reitor também solicitou ao ministro uma análise sobre a Educação a Distância (EAD) no Rio Grande do Sul, especialmente na região do Vale do Sinos. “A Feevale, assim como as demais instituições de ensino comunitárias, está sendo impactada com a EAD predatória e de qualidade questionável, por isso solicitamos providências ao MEC, como órgão verificador e regulador”, disse. Soares, por sua vez, afirmou que também está preocupado com essa falta de qualidade e que, ainda neste ano deverão ser adotadas medidas em relação a essas instituições que não estão oferecendo estruturas adequadas nem qualidade de ensino.

Foto: Reprodução | Fonte: Assessoria

Related Post