Instituto Crescer Legal completa três anos com inovações no campo

No dia 23 de abril, o Instituto Crescer Legal completa seu terceiro ano com muito a comemorar. Para marcar o sucesso das atividades, a entidade lançou um blog que retrata a relação entre a juventude e o campo, denominador comum dos jovens aprendizes envolvidos com a entidade. “Os depoimentos apresentam singularidades e peculiaridades dentro do contexto de cada realidade. Respeitar essas diferenças e proporcionar crescimento pessoal está entre os nossos objetivos ao oferecer um curso voltado ao meio rural”, afirma o diretor presidente do Instituto, Iro Schünke.

Segundo a coordenadora do Instituto, Nádia Fengler Solf, dar voz aos jovens egressos é uma forma de valorizar suas experiências e também ouvir as demandas da juventude. “Desde o início de nossas atividades temos sido constantemente surpreendidos pela vontade de crescimento dos jovens. É muito nítido o quanto eles ainda procuram e precisam de espaços que atendam necessidades muito específicas e que ainda não estão contempladas pelas políticas públicas”, avalia.

Os depoimentos são de egressos do curso Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural e estão disponíveis em Crescer Legal – Histórias. Confira alguns deles abaixo:

“Nos últimos tempos eu pude ver que o meio rural, que é onde estou inserida, é muito valioso. Comecei a refletir mais sobre o presente e o futuro e acho que posso investir mais em algo relacionado ao campo”, Edilaine Scherer, 19 anos, egressa de Candelária (RS).

“Criei, como parte da formação em um curso de gestão rural, o aplicativo ‘Feira Online Santa Cruz’ para compra e venda de produtos alimentícios. Pensei no aplicativo como mais uma forma de a informática auxiliar a atividade rural”, Cássio Roesch, 18 anos, egresso de Santa Cruz do Sul (RS).

“Como meus pais são pequenos produtores rurais e trabalham na lavoura, eu achava que a propriedades era apenas algo de onde tiravam o sustento. Quando comecei a fazer uma tabela com os bens rurais, fui me surpreendendo e percebi que o que temos vale muito”, Maira Bugs, 17 anos, egressa de Vera Cruz (RS).

“Quando me foi solicitado fazer um projeto direcionado à gestão rural, sentei com meus pais para pensar na nossa realidade e o que poderia ser feito para melhorar. Depois de analisar o que tínhamos em recursos ambientais e possibilidades de investimento, criei o ‘Despesca Alto da Serra’. Como já tínhamos o açude, pensei em ampliar a produção de peixes e colocar também para venda”, Jéssica Voeltz, 17, anos, egressa de Vale do Sol (RS).

“Quando foi solicitado, no curso de aprendizagem profissional, que fizéssemos um projeto para a propriedade rural, eu e minha família construímos, com canos de PVC pretos e garrafas pet pintadas de preto, um sistema de aquecimento solar. Devemos reciclar e usar adequadamente os recursos disponíveis. É preciso pensar para frente, não adianta a gente pensar só no agora”, Micaela Reginatto, egressa de Venâncio Aires (RS).

O Programa de Aprendizagem Profissional Rural foi ampliado em 2018 de cinco para sete municípios gaúchos. Atualmente, cerca de 140 jovens de Boqueirão do Leão, Candelária, Santa Cruz do Sul, Sinimbu, Vale do Sol, Venâncio Aires e Vera Cruz participam das atividades do curso que em 2017 formou 84 jovens em Candelária, Santa Cruz do Sul, Vale do Sol, Venâncio Aires e Vera Cruz. Com idades entre 14 e 17 anos, os jovens foram selecionados entre as famílias de produtores e trabalhadores rurais com o auxílio dos orientadores e instrutores das empresas associadas ao Instituto Crescer Legal, além das escolas e rede de assistência social.

Foto: Divulgação | Fonte: Assessoria

Related Post