Gramado decreta situação de calamidade pública

O prefeito de Gramado, João Alfredo Bertolucci, o Fedoca, assinou Decreto nº 080/2018, no final da manhã desta quinta-feira (24), determinando situação de calamidade pública nos serviços municipais, em virtude do desabastecimento e/ou escassez de combustíveis, visando economizar recursos para a área considerada essencial, a saúde.

A greve nacional dos caminhoneiros contra o aumento dos combustíveis vem afetando de igual modo os serviços públicos oferecidos pelo Executivo. Dessa forma, a partir da publicação, ficam suspensas as aulas, na rede municipal, e o transporte escolar oferecido pelo município, bem como as obras que necessitam do apoio das máquinas do Executivo. Os serviços da saúde não ficam prejudicados, nem o recolhimento de resíduos, visto que é caso de saúde pública.

O decreto fica vigente até a próxima segunda-feira (28), à meia-noite, podendo ser antecipado ou prorrogado, caso persista a situação do desabastecimento ou mesmo seja revertida.

A administração alerta que não haverá paralisação nas secretarias e no Paço Municipal, mas fará a racionalização dos recursos, como por exemplo os veículos oficiais do Executivo, que serão usados em medidas de extrema urgência, priorizando os serviços de saúde. Porém, ficam suspensos os prazos processuais dos processos administrativos em tramitação.

“Essas medidas afetam toda a economia nacional, portanto estamos sendo profundamente atingidos por elas, sobretudo aquelas que proíbem livre acesso à cidade. Essas circunstâncias chegaram ao ponto da insuportabilidade, razão pela qual foi assinado o decreto de situação de calamidade pública. Por hora Gramado viverá este momento de inusitada apreensão, esperamos que essa situação se regularize até segunda-feira, para que possamos retornar às nossas atividades cotidianas”, disse o Prefeito Fedoca.

Fonte: Assessoria | Foto: Divulgação

Related Post