Geronto Fair abre primeira edição reunindo conhecimento e serviços para a terceira idade

Até a próxima quarta-feira, (05), o mercado que mais cresce no mundo tem um palco privilegiado em Gramado (RS), para a discussão, troca de informação e apresentação de produtos, serviços e tecnologias para a terceira idade. A Geronto Fair, promovida pela Merkator Feiras e Eventos, tem sua primeira edição prestigiada por profissionais que primam pela qualidade de vida do púbico 60+. “A terceira idade tem necessidades específicas, em um mercado em acelerado crescimento. Queremos ser o polo que irá reunir este segmento em um único espaço”, afirma o diretor da Merkator, Frederico Pletsch.

Na primeira palestra do auditório + Vida, nos pavilhões do Serra Park, Dr. Egídio Lima Dorea, diretor do Centro de Longevidade Brasil – ILC/BR – falou sobre a revolução da longevidade, abordando diversos aspectos do envelhecimento. Disse que houve um aumento na expectativa de vida saudável, onde o idoso tem um capital vital, cuidando mais da sua saúde. “Ele procura ter mais conhecimentos, socializando mais e se preocupando financeiramente para ter uma vida melhor na terceira idade, e isso é ter um propósito de vida”, sublinhou. No entanto alertou que, para isto, os idosos precisam de uma prevenção secundária de doenças, a fim de uma detecção precoce para ter um tratamento mais eficaz em sua patologia. “Há também a preocupação com a desigualdade social, pois dependendo da comunidade onde mora, sua expectativa pode ser menor ou maior. Um exemplo disso, foi uma pesquisa recente onde se constatou que no bairro Jardins, em São Paulo – bairro nobre, a expectativa de vida chega a mais de 75 anos e no bairro da periferia da mesma cidade, a expectativa não passa dos 55 anos”, disse Dorea.
Explicou ainda que há 7 bilhões de pessoas em todo o mundo e mais de 900 milhões são idosos – em 2050 serão mais de 2 bilhões. Ainda conta que o Japão é o país com mais longevidade de vida no mundo – com uma expectativa de vida de 85 anos. Aqui no Brasil, a faixa que mais cresce é a de pessoas com mais de 60 anos, pois a taxa de mortalidade está caindo e as pessoas vivendo mais – tendo sua expectativa de vida em 75 anos. “75% das mortes entre idosos são por doenças crônicas não transmissíveis geradas por sedentarismo, dieta pouco saudável, alto tabagismo, sono – dormir menos de 7 ou 8 horas por noite, e alta ingestão de álcool.

Foto: Divulgação | Fonte: Assessoria

Related Post