Francal 2017 confirma expectativa de crescimento nas vendas de calçados e acessórios no segundo semestre

A Francal, Feira do Verão Brasileiro, teve sua 49ª edição encerrada na quarta-feira (5), no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento apresentou ao mercado os coleções de calçados e acessórios para a primavera-verão de 1.500 marcas nacionais, temporada que representa em torno de 70% dos negócios anuais do setor.

A feira recebeu 33.800 visitantes profissionais de todos os Estados brasileiros e do Distrito Federal; entre eles, 13.600 lojistas – ou seja, 40% do total. A forte presença desse público focado na realização de negócios com as empresas expositoras comprova a tendência de profissionalização do mercado. Do total de lojistas, 600 vieram de 17 cidades do interior de São Paulo e de Minas Gerais por meio das caravanas subsidiadas pela feira e organizadas em parceria com associações comerciais e câmaras de dirigentes lojistas.

Para Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal, tudo indica que a feira atendeu à expectativa de dar continuidade à recuperação das vendas no mercado interno e externo iniciadas neste ano.

“O retorno que tivemos dos expositores foi bastante positivo, com vendas efetivas e futuras, inclusive para clientes internacionais.”

O presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, destaca que a feira cumpriu a função de dar um start para a temporada de vendas mais importante, em termos de volume, para a indústria nacional.

“A primavera-verão responde por quase 70% do total de vendas brasileiras de calçados. Neste contexto, a Francal sempre é um termômetro importante do comportamento do mercado e nesta edição não foi diferente. Empresas que conseguiram segurar custos e manter o preço, apostando em produtos inovadores, tiveram bons resultados, outras nem tanto. O segmento, apesar de iniciar uma recuperação gradual, ainda está muito inseguro quanto aos rumos da economia, que historicamente é abalada pelas turbulências políticas”, comenta o dirigente.

Segundo Klein, de uma maneira geral, a indústria de calçados, se comparada com a indústria de transformação, é a que menos vem sentindo os efeitos da crise, tendo registrado incremento nas vendas internas e externas nos primeiros meses do ano. Entre janeiro e abril de 2017, as vendas no varejo aumentaram 6,3% no comparativo com igual período do ano passado, enquanto as exportações aumentaram 20% em receitas entre janeiro e maio no mesmo comparativo. “Existe sim uma retomada gradual, mas os calçadistas precisam entender que a sustentabilidade desse processo depende também do comportamento da indústria, que deve apostar em produtos diferenciados e que atraiam o consumidor para um novo modelo de consumo”, acrescenta.

Foto: Divulgação

Na avaliação da Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados (Ablac), na feira os lojistas tiveram a oportunidade de conhecer os lançamentos dos fabricantes de calçados e acessórios para a primavera-verão e realizar negócios com eles. “Temos uma expectativa de retomada do consumo de calçados nos próximos meses, por isso as compras durante a feira foram para atender à demanda projetada”, afirma Marcone Tavares, presidente da entidade. Ele destaca o caráter inovador e o design dos produtos apresentados pelas indústrias na Francal.

A Francal foi também palco de diversas atividades importantes para a Ablac. A entidade apresentou oficialmente o aplicativo Treinalojas, destinado ao treinamento de vendedores, que começa a ser utilizado por redes de lojas associados em julho. Além disso, reuniu sua diretoria executiva para análise dos projetos realizados ao longo do primeiro semestre, com destaque aos esforços para aprovação da reforma trabalhista em Brasília, onde o presidente Marcone Tavares esteve pessoalmente por três vezes, em contato com parlamentares.

Fonte: Assessoria

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.