Estado deve fechar o ano com aumento de 13% nas vendas do varejo

Após três anos seguidos de estagnação e queda intensa, em 2017, as vendas do varejo gaúcho devem fechar com crescimento de 13,41%, comparando com o mesmo período de 2016. Tal percentual, apesar de aparentemente elevado, não reverte a queda de consumo dos anos anteriores, de acordo com o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), Vitor Koch. Outro dado positivo do ano é que o PIB gaúcho referente ao comércio cresceu 8,31%.

O PIB gaúcho total deve subir 0,45%. O PIB brasileiro encerra o ano com crescimento de 0,86%, enquanto o PIB brasileiro referente ao comércio aumentou 1,67%, comparando com os mesmos dados no final do ano passado. As informações foram apresentadas em coletiva de imprensa da entidade, que ocorreu na manhã de quinta-feira (7), na sede da FCDL-RS, em Porto Alegre.

“A retomada do crescimento das vendas no varejo gaúcho iniciou no início de 2017 e se acelerou a partir do segundo trimestre, com a influência da liberação das contas inativas do FGTS, da grande safra agrícola, a despeito da queda do preço da soja, e da queda da Selic, incentivando os investidores em títulos públicos a consumir bens duráveis. Podemos destacar que o crescimento das vendas esteve concentrado nos artigos duráveis. Mesmo com o resultado positivo no ano, o consumo na maioria dos gêneros varejistas ainda está inferior aos padrões verificados há três anos (2014) e 5 anos (2012). Isto mostra que ainda existe um longo caminho para a plena recuperação do comércio lojista”, destacou Koch.

Outro dado positivo que demonstra uma retomada do crescimento é de abertura de lojas no estado, com 99.328 estabelecimentos em funcionamento atualmente. Ao final de 2016, o número de lojas era de 99.307. Os postos de trabalho nas lojas gaúchas recuaram até outubro. Porém, em novembro e dezembro a contratação de profissionais temporários fez com que o emprego do comércio varejista feche o ano com crescimento de 1,05%. Koch salienta que a tendência para 2018 é de sustentação da alta.

“Em todo estado, 522.515 pessoas trabalham com o varejo. É um segmento muito importante e fundamental para o desenvolvimento da nossa economia. Para o final de ano, estima-se contratação de quase oito mil gaúchos para vagas temporárias. Os últimos meses de 2017 estão concretizando importante recuperação do emprego lojista do Rio Grande do Sul. Mesmo que sejam vagas majoritariamente temporárias, o indicador evidencia a retomada da atividade lojista no RS”, avaliou.

Segundo os dados da FCDL-RS, o total de salários pagos pelo varejo gaúcho deve aumentar 5,99%. Com uma inflação esperada de 3,03% para o ano, isto significa um crescimento real da remuneração média de 2,9%, o que é compatível com uma situação realista de evolução salarial, diante de um cenário econômico que somente nos últimos meses do ano mostrou, efetivamente, sinais consistentes de melhoria.

Foto: Reprodução | Fonte: Assessoria

Related Post