Cooperativas vinícolas apostam na Wine South America como propulsora de negócios

Três das cooperativas vinícolas da Serra gaúcha já confirmaram presença na primeira edição da Wine South America, feira internacional do vinho. Nova Aliança, Aurora e Garibaldi serão expositoras da Feira Internacional do Vinho, que ocorre de 26 a 29 de setembro em Bento Gonçalves. Juntas, essas três cooperativas representam cerca de 2.050 famílias associadas e venderam mais de 87 milhões de garrafas de bebidas derivadas da uva em 2017.

A Aurora, maior cooperativa vinícola do Brasil, congrega mais de 1.100 famílias associadas e registrou mais de 58 milhões de garrafas vendidas no ano passado. Para o diretor geral, Hermínio Ficagna, a Wine South America será uma vitrine para os vinhos brasileiros. “Um evento dessa grandiosidade nos dá a possibilidade de mostrar ao consumidor e ao mundo que o Brasil produz vinhos e derivados de excelente qualidade, detentores de premiações nos mais diversos concursos em todo o mundo”, assinala.

A expectativa de conquistar mercados também motiva a Cooperativa Nova Aliança, de Flores da Cunha, que conta com cerca de 550 famílias produtoras de uva para a produção das mais de 14,5 milhões de garrafas comercializadas em 2017. “Optamos por participar da feira pela importância que ela possui já em sua primeira edição, pois deverá atrair a atenção dos principais players nacionais e internacionais. Estamos apostando na expectativa de que a WSA seja referência positiva para exposição de marca, prospecção de contatos e negócios e na comercialização de produtos”, conta o diretor financeiro Rodrigo Colleoni.

“Esperamos uma boa abertura, principalmente no mercado consumidor. Por ser um evento de experiência e que não segue os padrões de feiras tradicionais, acreditamos que toda a experiência durante o evento não fica apenas no seu espaço, e sim oportunizando mais contato com os consumidores”, completa o gerente comercial Fernando Matana.

Da região dos Vinhedos vem mais uma confirmada: a Cooperativa Vinícola Garibaldi, que em 2017 registrou venda superior a 15 milhões de garrafas de bebidas derivadas da uva. “Os vinhos e espumantes brasileiros têm características diferenciadas que lhes permitem aparecer com orgulho diante de consumidores e especificadores de todo o mundo. É preciso, portanto, valorizá-los e promove-los nesse cenário, desafio que a Feira Internacional do Vinho vem preparada para assumir. Acreditamos no potencial de nossos produtos e, por isso, trabalharemos a participação nesse encontro como grande oportunidade de fortalecimento dos negócios”, diz o presidente da Cooperativa, Oscar Ló, também presidente do Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho), outro nome relevante no rol de apoiadores da Wine South America.

Promovida pela Milanez & Milaneze, subsidiária da italiana Veronafiere, empresa italiana especializada em eventos de negócio e realizadora da Vinitaly, a Wine South America tem expectativa de integrar 250 expositores nos pavilhões do Parque de Eventos, atraindo cerca de 10 mil visitantes. Além das transações comerciais, o turismo é outro viés que deve movimentar a economia, pois a feira ocorrerá no principal destino enoturístico do país.

O evento também terá espaço para produtores de café, destilados e olivicultuores. Além das principais novidades levadas pelos expositores, haverá cursos, seminários e degustações para ampliar os conhecimentos sobre o universo dos vinhos.

Foto: divulgação | Fonte: Assessoria

Related Post