Campo Bom receberá mais R$ 70 milhões para coleta e tratamento de esgoto

Campo Bom ganhará um acréscimo de mais de R$ 70 milhões de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para incluir nas obras de implantação das redes coletoras de esgoto residencial e predial do município. Os recursos incluem ainda a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), além da instalação de três Estações de Bombeamento de Esgoto.

O anúncio foi feito pela Corsan nos últimos dias. As obras da primeira etapa tiveram início em abril de 2017, promovidas em uma parceria entre a Prefeitura e a Corsan, com um investimento de mais de R$ 7 milhões do Fundo Municipal de Gestão Compartilha entre as duas entidades. Com esse acréscimo de R$ 70 milhões, as obras deverão elevar dos atuais 2% para 48% o percentual de residências que contam com tratamento do sistema de esgotamento sanitário no município, beneficiando mais de 36 mil habitantes.

Segundo o prefeito Luciano Orsi, isso é mais uma conquista importante para o município:

Ficamos extremamente gratificados com essa notícia, pois ampliar o tratamento de esgoto na cidade resultará em uma melhor qualidade de vida para a comunidade. A cidade já havia perdido recursos na casa de R$ 78 milhões no passado e que poderiam ter garantido obras desta magnitude. Sabemos que a falta de tratamento dos esgotos e de condições adequadas de saneamento, podem contribuir para a proliferação de inúmeras doenças, além da degradação da água que consumimos. A cidade dá mais um passo importante e firma, em mais um item, o seu diferencial como um município que se destaca na região e até mesmo no país, pela qualidade de vida que oferece aos seus moradores”, afirma Orsi.

Para o secretário de Meio Ambiente João Flávio, a disposição adequada dos esgotos é essencial para a proteção da saúde pública, sem falar na prevenção do meio ambiente. “É a primeira vez que uma ETE será implantada em Campo Bom. Assim como em outras cidades, nosso esgoto é despejado no Rio dos Sinos sem tratamento adequado. O tratamento de esgoto é uma medida de saneamento básico tendo como objetivo acelerar o processo de purificação da água antes de ser devolvida ao meio ambiente ou reutilizada. Os transtornos das obras são temporários, mas os benéficos para a cidade, comunidade e meio ambiente serão permanentes”, explica o secretário.

Estação de Tratamento de Esgoto

Dentro destes novos recursos, cerca de R$ 24 milhões serão destinados a implantação de uma ETE de dois módulos, com capacidade de tratamento de 50 litros por segundo cada. A ETE será implantada em uma área do bairro Mônaco, onde já existe Licença de Implantação para o empreendimento. Assim que concluída, a ETE terá a capacidade de atender 85 mil habitantes, 100% dos 65 mil moradores atuais de Campo Bom e ainda preparada para atender o crescimento populacional projetado do município dos próximos 25 anos. A previsão é que a licitação da Estação seja lançada no primeiro semestre de 2019, com prazo de execução de 4 anos.

Obras dividida em duas etapas

Para a implantação da rede coletora de esgoto, a Corsan dividiu a obra em duas etapas. A primeira etapa de implantação da rede coletora, que já atingiu mais de 40% de sua meta, abrange os bairros 25 de Julho, Santa Lúcia, Jardim do Sol e Cohab Leste. A previsão é que essa primeira etapa seja concluída até o segundo semestre de 2019.

Já a segunda etapa, que inicia em seguida, será promovida com os mais de R$ 47 milhões que serão financiados pelo BNDES. Essa fase abrangerá a implantação de redes coletoras nos bairros Vila Santa Lúcia, Santo Antônio, Cohab Sul e Genuíno Sampaio, além da instalação de três Estações de Bombeamento de Esgoto. O prazo de execução desta etapa é de 4 anos.

Sobre a ligação com as casas

O proprietário que dispor de rede em frente ao seu imóvel deverá proceder com ligação a rede coletora. Assim que as obras estiverem concluídas na rede coletora, equipes de mobilização social da Corsan visitarão a casa dos moradores distribuindo material informativo com o objetivo de esclarecer a população da necessidade de ligação das casas à rede coletora da companhia e explicando como funciona esse processo.

 Como funciona o tratamento de Esgoto

Através da rede coletora pública, o esgoto sai das residências e chega à estação de tratamento, denominada ETE. O sistema é longo, pois o esgoto é recolhido por ramais prediais e levado para bem longe, o que exige a realização de grandes obras subterrâneas ao longo das ruas. Uma vez instalada a rede coletora e implantado o sistema de tratamento pela Corsan, é a vez de os clientes fazerem a sua parte, pois cada morador deve fazer a ligação da sua residência à rede coletora para contribuir com a saúde pública e a recuperação ambiental.

Foto: divulgação | Fonte: Assessoria

Related Post