Aposentada de 81 anos participa do Pró-Fábrica na Feevale

Ela tem 81 anos de idade e energia de sobra. Érica Melina Lauer é aposentada, mora em Porto Alegre, e participa da primeira edição da oficina de Modelagem e confecção de bolsas a partir do reaproveitamento de materiais. A atividade, que é gratuita e aberta à comunidade, integra o projeto Pró-Fábrica – Sapateiros do Bem, da Universidade Feevale, e promove encontros aos sábados pela manhã. O próximo módulo da oficina inicia no sábado (7).

Moradora do Centro Histórico da capital gaúcha, dona Érica não perde uma oportunidade de aprender coisas novas. Por isso, quando soube do projeto, procurou logo se inscrever. “Sei de muitas pessoas na minha idade com Alzheimer. Então, eu procuro me manter ativa e com a cabeça funcionando. Pra que vou me atirar num sofá, para acabar com a minha vida? Amo a vida, gosto de viver… ver meus filhos e meus netos crescerem, casarem… isso é maravilhoso”, explica.  A curiosidade e vontade de aprender acompanham a aposentada desde a juventude.

Quando tinha 19 anos e morava em Palmeira das Missões, soube de um curso de pilotagem de avião. Eu nunca tinha andado em um avião, mas como sempre fui muito curiosa, resolvi fazer e tirei o brevê de piloto civil. Queria ser piloto de prova, ir pra Rússia, trabalhar em fábrica de aviões, mas a vida me levou para outros lados”, conta.

Viúva há mais de 30 anos, hoje Érica conta com a ajuda dos filhos, Araci e Otto, mas é independente e realiza suas rotinas do dia a dia sozinha. É, inclusive atualizada com a tecnologia e com as redes sociais. “Depois de tomar o café da manhã leio o jornal. Tenho meu computador, em que olho meus e-mails e meu perfil no Facebook”, completa, dizendo que fez três cursos de informática até aprender a utilizar os dispositivos.

Ela trabalha com artesanato desde que se aposentou e vende seus produtos em feiras e festas de igreja. “Não queria ficar parada, pois faz mal para a cabeça. Fiz diversos cursos, como pintura em tela, de flores artificiais, de bijuterias. Todos os cursos que apareciam e que eram gratuitos eu fazia”, afirma.

Com o curso de produção de bolsas, ela viu uma oportunidade de agregar mais um produto para comercializar. “Estou adorando este curso, pois com ele eu aprendi a fazer bolsas, que ainda não sabia fazer. Ainda por cima convivo com jovens, que trazem muita alegria para o meu dia”, comemora a aposentada, que utiliza dois ônibus e mais o trem para chegar até a Feevale e depois voltar à Porto Alegre.

Foto: divulgação | Fonte: Assessoria

Related Post